Colombiatex antecipa as tendências para o denim no Verão 2022

Conceitos de moda são vendedores silenciosos, que quando bem aplicados funcionam como verdadeiros convites para uma multicompra que vai além da simples aquisição, na medida em que eleva-se ao patamar da experiência.

Por isso, acessar com antecedência previsões de tendências assertivas é fundamental para o desenvolvimento de uma coleção de moda. Mas o que realmente define o seu sucesso, é ter em mente como cada consumidor vai se adaptar a cada uma das tendências da temporada.

Este foi o principal direcionamento colocado por Laura Osorio Damelines, especialista em Investigação de Consumo do InexModa durante a palestra Tendências para Categoria Denim – Primavera Verão 2021 (equivalente ao 2022 brasileiro). O conteúdo foi apresentado na programação de Conferências da terceira semana da Colombiatex de Las Américas. Confira o resumo dos principais tópicos abaixo:

Fits

De acordo com a especialista, no Verão 2022 o mix de modelagens do setor denim vai assistir um renascimento dos anos 70. Com a retomada, as skinnies, que têm dominado o mercado, vão se reconfigurar e dar espaço para a retomada das boot cuts como forma de renovação.

Inspirados na mulher que quer se vestir com conforto e se sentir relaxada; ao mesmo tempo em que não abre mão de manter o topo do look pronto para qualquer ocasião, teremos a presença forte dos slouchy jeans. Baggies, boyfriends, e toda sorte de variação ampla e relaxada cumprirão essa missão.

Reforçando o “mood” setentista, teremos ainda as Wide Legs, com cintura marcada, quadris ajustados e entre pernas amplas se destacando na temporada. Para este tipo de silhuetas, as manualidades não serão as protagonistas e o Denim será liso e uniforme.

Peças-chave

No mix de shorts o “key item” favorito é o biker jeans pelo potencial versátil e vocação confortável que oferecem ao look. O modelo poderá ser proposto ajustado, semi ajustado ou amplo – dependendo dos hábitos de vestir do público de cada marca.

Em seguida teremos os microshorts, uma peça que deve ser interpretada tendo em mente o público a que se dirige. “Se estou produzindo para o mercado Millennial, que é uma geração mais nova, a peça será mais curta; já se o foco está nos baby boomers, preciso ofertar um short mais amplo e que cubra bem a parte posterior”, exemplificou Laura.

As clássicas saias mídi serão uma forte aposta na temporada, renovadas por diferentes desenhos, fendas e estilos de lavagens que vão abordar desde o visual piquenique até o look reunião de trabalho. A maioria das lavagens será 100% azuis, com algumas aparições esporádicas em tons pastel.

O topo do look vai continuar blusas com mangas volumosas, em diferentes tons pastéis, dry denim, ou em lavagens especiais. Neste mix é importante ter em conta o peso do denim, para que a proposta não crie um volume exagerado no corpo.

Em seguida temos os macacões longos propondo o total denim no estilo look imediato, para as mulheres que querem chamar a atenção sem pensar muito no que vestir. Apesar da inspiração na roupa de trabalho, a peça-chave poderá agregar versões estampadas, adornadas com metais e principalmente diferenciadas por efeitos tie-dye. As amarrações na cintura são ideais para moldar uma silhueta mais feminina.

Por fim, os minivestidos serão uma tendência muito favorável para os mercados mais contemporâneos, e virão com o discurso de exaltação da feminilidade e sensualidade. Cada modelo terá um desenho único incorporando as demais tendências, o que converterá a peça em uma das apostas mais trendy da estação. Recortes, contrastes de lavagens, versões coloridas terrosas e silhuetas super ajustadas predominam na peça.

Formas

Cinturas baixas ou relaxadas estarão em alta principalmente nas peças onde o conforto protagoniza formas e volumes no estilo. É importante pensar que tipo de blusa acompanhará um jeans de cintura baixa, para propor diálogos corretos na coleção.

Pences e pregas vão fazer parte do desenho da temporada em peças com visual limpo e caimento amplo. Pantalonas, saias mídi e bermuda short serão as peças que receberão este tipo de atualização, quase sempre na área dos quadris e cintura.

Bolsos utilitários, estilo cargo não estarão presentes apenas em calças e bermudas mas também no shortinho godê, em coletes alongados, jaquetas, parkas e vestidos. Além de reformar a silhueta feminina, a construção mantém seu potencial utilitário de acomodar diversos objetos pessoais nos bolsos. Logo, pensar qual tipo de objeto um determinado público acomodaria na construção, é processo estratégico para o planejamento do tamanho e localização ideal para cada modelo.

Cortes vazados serão detalhes ousados que irão revelar um pouco mais de pele nas coleções. A interferência poderá revelar parcialmente quadris em calças de cinturas super altas, criar elaborados efeitos assimétricos, simular desconstruções em saias, blusas ou jaquetas; ou mesmo imitar rasgos no entrepernas. A correta dosagem do modelo e do tipo de exposição proposto nas coleções será determinante para esta tendência, que pode ser arriscada para alguns públicos; e extremamente irrecusável para outros.

O look desconstruído é um formato mais criativo e menos arriscado do que os vazados, que que vai estar presente em todas as formas clássicas do jeans. Braguilha inclinada, e dobras lembrando a peça vestida de forma retorcida representam a estética, que surge como opção para as mulheres que desejam investir no jeans com estilos únicos e diferenciados.

A superfície do denim deslumbrante, com muitas aplicações, adornos e cristais serão tendência, especialmente para o mercado de consumo de massa. O visual, será uma alternativa de glamour para a temporada.

Cut-off reto ou formando bainhas diagonais serão um elemento estético importante em saias e shorts, e deverão ter em conta os comprimentos ideais a cada peça-chave que se aplicam para assegurar que não ocorra desmanche de centímetros não planejados.

Rasgos e devorês vão inspirar o jeans dos consumidores que buscam se vestir de uma forma mais rebelde, compõe look estilo segunda mão ou optam por produções menos elaboradas. O efeito, tem foco no mix desenvolvido em denim rígido.

Lavagens

Superfícies cruas e tons cálidos como o branco natural serão fortes no mix voltado ao público que busca sustentabilidade como principal discurso do seu modo de vestir. Entre os principais detalhes desta cartela, estão as costuras em contraste.

Azuis pálidos serão destaque junto à tendência dos “quase brancos”, especialmente no público que vai buscar compor um look relaxado. As marcas deverão buscar pigmentos muito puros para chegar a esse tipo de tingimento, que deve levar em conta processos e alquimias sustentáveis.

O azul brilhante, que foi a expressão máxima na temporada anterior, será um básico no Verão 2022 das coleções femininas e masculinas. Já o Black Denim ganha tônus em diferentes coleções de diferentes marcas, especialmente nas peças mais clássicas das coleções, como jeans, shorts e camisas western.

Os tons terrosos estarão presentes tanto nas coleções femininas quanto masculinas, em pigmentos ou acabamentos superficiais; principalmente nas cores vinho, terracota e mostarda. Algumas das propostas desta cartela, serão ofertadas junto à reservas de índigo em detalhes estratégicos.

Os coloridos brilhantes, especialmente a cartela neon, serão aplicados em sua grande maioria em produtos femininos, como vestidos, shorts, casacos, e algumas calças. O mercado encontrará soluções em sarjas PT ou efeitos de lavanderia para as peças com tonalidades. As silhuetas deste mix não serão muito arriscadas, já que a cor deverá ser a protagonista do argumento comercial.

Tons pastel nas cores verde, rosa e violeta serão tendência, com grande ênfase no masculino.

Estampas

Os estampados que veremos serão de formas abstratas combinadas à efeitos de tie dye. Poderemos ver o visual tanto no denim quanto em tingidos. As coleções deverão ofertar, no mínimo, um produto com a proposta.

Ainda entre as padronagens teremos a ênfase no Die Art, que é a técnica do tie dye elevada a um nível mais elevado. Nessa gama de estampas, processos manuais, com rebuscadas técnicas pictóricas, e superfícies com representações abstratas serão trabalhadas por designers gráficos, ilustradores e artistas em coleções cápsulas ou colaborativas.

Listrados terão alta relevância no mercado masculino, não somente no estilo casual mas em roupas com estilo streetwear. Os tons vão do clássico azul e branco até variações fashionistas em tons rosados.

Metalizados, acabamentos encerados e com brilho nos tons prata, rosado e azul serão os elementos mais trendy do universo jeanswear. O acabamento será reservado à calças e jaquetas, que poderão ser sugeridos em combos, como sugestão para ocasiões elegantes ou mesmo para propor algo único para o consumidor.

Fonte: Vivian David | Fotos: Reprodução