Colombiatex conecta oferta e demanda de moda com Brasil entre os destaques

O anúncio de que a Colombiatex de Las Américas teria um formato híbrido, indo além do seguro ambiente digital e reativando a experiência presencial, no ano passado, não foi uma surpresa para quem conhece o perfil destemido da feira. Já o adiamento do evento físico para o segundo semestre com a manutenção das datas para a versão online, reafirmaram a seriedade e a postura profissional que sempre marcaram as edições desta, é a maior feira de moda, informação e negócios da América Latina.

Foi com esse espírito de profissionalismo que a edição online da Colombiatex de Las Américas 2021 teve início no último dia 18 de janeiro. O evento segue acontecendo no portal www.colombiatex.com até o dia 5 de fevereiro, onde é possível comprar ingresso e usufruir de diferentes ambientes, participando como comprador, expositor, ou interagindo na plataforma virtual de negócios. Além disso, todas as transmissões ao vivo realizadas pelo evento estão disponíveis para acesso sob demanda.

Vicunha e Santanense

A versão digital da feira conta com cerca de 240 expositores de 17 países, como Colômbia, Índia, Itália e Brasil. Da Europa à América, são 193 compradores internacionais de 20 países diferentes, os quais foram convidados pelo ProColombia para realizar negócios através de plataformas virtuais.

Entre as categorias que mais estão buscando compradores internacionais para criar ligações, estão as fibras têxteis, os têxteis técnicos e linha completa de roupa casual, roupa formal, jeanswear, moda íntima e moda praia.

A plataforma virtual de negócios manteve a missão de conectar oferta e demanda.  No ambiente, é possível encontrar as empresas divididas pelos temas Mostra Comercial, Mostra de Produto, Rota de Sustentabilidade e Biossegurança, Tenda Inexmoda, Comunidade Sistema Moda, Fórum Têxtil, Conferência de Tendências e Agenda.

A navegação, possibilita a visualização do vídeo institucional de cada companhia, bem como portfólio dos produtos com características e composição de cada um, além dos contatos comerciais das companhias para pedidos de conexão e conversas de negociação por chat e releases para download. As ferramentas incluem também o Bookmarks, que ajuda os visitantes a não perder de vista as companhias que deseja contatar, e uma lista de desejos, para que os compradores possam visualizar os produtos que despertaram interesse, de forma organizada.

O Pavilhão do Conhecimento mantém a proposta de oferecer conteúdo, proporcionando trinta conferências gratuitas, masterclasses (de 25 a 28 janeiro), workshops (entre 1 e 5 fevereiro) e assessorias (a partir do dia 25 de janeiro).

No Fórum Têxtil, é possível acessar informações especializadas para a temporada de Verão 2021. Os temas giram em torno de Modelos de negócios, estratégias (especialmente as digitais), cadeia de valor e indústria. Como componente central, as discussões estão priorizando o futuro da moda e todas as conjunturas onde existem oportunidades para o setor.

Nas coleções propostas pelas tecelagens para a temporada de Verão 2021, os azuis profundos com alto desempenho na estabilidade da composição e elevado retorno representaram fortes tendências. Junto a este mix, as linhas sublinharam a importância dos tecidos com acabamentos antivirais, as variedades de white denim e o valor comercial das misturas com poliéster em pesos leves. Com a projeção do conforto imperando como base para qualquer tendência, as opções de Denim com fio T400 consagraram-se como uma oferta de consenso nas coleções.

O Brasil está presente em peso no evento, principalmente na área digital Rota de Sustentabilidade e Biosegurança, que pode ser considerada a mais direcional para o setor denim. Canatiba, Covolan, Dalila Têxtil, Santanense, Santista e Vicunha constam nesta área com portfólios calcados em práticas de reaproveitamento, economia de água e energia. Também a Cedro Têxtil, embora não esteja classificada no mesmo espaço, marca presença na feira com ofertas eco-friendly.

Ainda entre as companhias brasileiras, estão a fabricante de fibras Creora, a tecelagem Cataguases, Santa Constância, Paramount Têxteis  e as fabricantes de malhas e materiais para moda atlética Coltex, Dikla Tex, Rosset Têxtil e Malharia Lunelli. No quesito tecnologia, temos a Audaces, Censi Maquinas e Delta Máquinas Têxteis.

Veja abaixo um resumo do que as fabricantes de denim brasileiras apresentaram:

Canatiba

A Canatiba apresentou um portfólio de 51 produtos apostando bastante na consistência do look  vintage e nas misturas confortáveis entre algodão e viscose ou Liocel, incluindo produtos que levaram 100% destas fibras na composição.

O mix foi dividido em quatro grupos. São eles: a linha Éko, baseada em produtos feitos com fibras sustentáveis e certificações, exemplo de Kentucky Denim (100% algodão e Molly Flowers (100% Lyocel); Tecno Comfort, que aborda o conforto mais elevado através da tecnologia de ponta; Mega Flex, focada na liberdade de movimento e a elasticidade mais elevada, sugerido através de artigos como o Novo Megaflex (98% algodão, 2% elastano); e, por fim, a Smart Denim, que agrega qualidades funcionais.

Covolan

 

O espaço digital da Covolan destacou um mix de 50 produtos, enfatizando azuis, dark denim e blacks sempre valorizando o aspecto icônico do tecido, com opções em construção sarja. Destaque para o Circular Denim, com a composição de 100% fibras diversas pós consumo.

Ainda entre os produtos diferenciados, seguindo a tendência do conforto, o Posse Deep apresentou uma dose mais ousada de 3,5% de elastano, sem comprometimento da  pegada vintage no aspecto de lavagem. Embora as peças mais fashionistas do mostruário sejam confeccionadas por tecidos 100% algodão – como o Lareda -, as mais procuradas, a julgar pelas marcações de favoritos, são as que mesclam algodão, elastano e poliéster – como o Satin Blue.

Santanense

 

Com foco nas sarjas e no mix colorido e com aspecto natural, a Santanense apresentou um portfólio bastante amplo de 46 produtos. Isto porque o mix da companhia abrange além da moda, contemplando o workwear com tecidos bastante técnicos como a linha Fire, resistente à chamas.

Para o jeans, destaque para os produtos com certificação BCI e Lycra ® com certificação Oeko Tex, como os tecidos Denim Summer Flex e o Press Flex. Mas, acima de tudo, o diferencial da marca para o setor consiste nos coloridos rígidos, como o Rochedo, e super elásticos com alongamento de mais de 50%, a exemplo do Belize Extreme Power (90% algodão, 8% T400 e 2% Lycra ®).

Santista

Com um catálogo mais numeroso de 76 produtos, a Santista Jeanswear enfatizou os azuis profundos como o Absolut Lazuli Tri Blend ®, (88% algodão, 10% elastomultiester (T400) e 2% elastano), o white denim como solução para atender ao mix de coloridos, a exemplo do White Denim Lite ®; e as composições com potencial de longevidade mais elevado, como o novo New Extreme Tri-Blend ® (90% algodão, 8% elastomultiester e 2% elastano).

Ainda entre os lançamentos, destaque para a linha de tecidos com acabamento antiviral Bio Protect, capaz de inativar vírus e bactérias em até 3 minutos com uma eficácia de 99,8%. Entre os exemplos estão o Joker Bio Protect (100% algodão) e Aurora Bio Protect (98% algodão e 2% elastano).

Vicunha

A Vicunha apresentou 16 produtos do seu mix, dando destaque às composições 100% algodão para atender a demanda por peças fashionistas, como o famoso shortinho godê, através de produtos como o Zat. Nas misturas de algodão com elastano, a tecelagem propôs produtos com cerca de 55% de elasticidade, como o Ester, para acompanhar as aspirações por conforto.

Com proposta comercial, apresentou uma variedade importante de opções de denim com poliéster em pesos leves, entre eles o Doc Eco (77% algodão, 22% poliéster e 1% elastano).

Cedro Têxtil

A Cedro Têxtil marca presença na Colombiatex com um portfólio de 22 produtos. Entre eles, destaque para o acabamento antiviral, antifúngico e antibacteriano AMV, que apresenta proteção comprovada contra o Covid-19. O tratamento inativa o SARS-COV-2 com 99,8% de eficiência, a partir de dois minutos. Também o mix repelente e antivetor. Já na linha jeanswear, o mix foi pensado para peças diversificadas com apelo fashion.

O NASUS, produzido a partir da reciclagem de garrafas PET,  é uma das maiores apostas da tecelagem devido ao seu apelo sustentável.  Também a linha Flow, que mescla poliéster à composição, merece destaque  pelo apelo comercial e facilidade de aplicação em calças amplas e blusas.

Fonte: Vivian David | Fotos: Reprodução