Empoderamento e visibilidade da moda afro é destaque no Afropunk

Poderosos imãs de estilos autorais, comprometidos com a reprodução fiel de comportamentos, culturas e visões de mundo através do modo de vestir. É esse filtro, que tem elevado a importância dos festivais musicais como fonte de inspiração (e informação) privilegiada de moda. Mas não é só o glamour do Coachella que tem se tornado observatório referencial para as tendências.

Afropunk, festival musical que nasceu no Brooklyn em 2005 e hoje apresenta expansão e influência mundial, cada vez mais recebe atenções da mídia especializada. Atualmente, o evento representa uma referência interessante para os mais diferentes perfis de consumo, pela capacidade de reunir em poucos dias, amostras criativas de looks que cumprem com competência a tarefa de valorizar o corpo, o lifestyle e a beleza afrodescendente; em todas as suas nuances.

E foi justamente partindo deste princípio, de que reconhecimento e aceitação começam com visibilidade, que o Afropunk 2019 elegeu a frase “We See You” como referência para sua edição atual. Dentro do que é tendência no mundo, as produções expostas pelo público do festival foram muito bem sucedidas em manter-se fiéis à cultura afro, em modo atual e vanguardista.

A estética Safári, por exemplo, com suas cartelas envelhecidas e apagadas de tons terrosos, esverdeados e rosados, comunicaram com mais veracidade seu discurso original no contraste com a pele morena. O look total black, por sua vez, elevou seu tom de modernidade.

A aceitação como modo de expressão no evento, tomou também a forma da transparência em cartela fluorescente, combinada ao jeans pantalona arrastado, e peças do underwear e da moda atlética. Turbantes conciliando o top de crochê com a alfaiataria, o macacão essencial vestindo irreverência em tamanho “extra large”, e combos color blocked com jeitão de Savana também integraram alguns dos looks mais inspiradores do evento.

A diva plus size de cabelos coloridos, a celebridade do Instagram, a personalidade do subúrbio – todos tiveram representatividade e assumiram sua melhor versão afro no festival. Fica o trend alert, para as marcas buscarem a representatividade dos seus targets e proporcionarem meios para o empoderamento, pela aceitação de suas belezas, medidas e tons de pele reais.

Fonte: Vivian David | Fotos: Reprodução