François Girbaud e sua influência no mix de modelagens do jeans

Um dos caminhos que levam a mensurar a importância de um grande nome para a moda é a descoberta repentina do quanto o nosso próprio estilo é influenciado pelo seu legado, antes mesmo de conhecê-lo. É o caso da dupla Marithé Bachelard e François Girbaud. Já comentamos aqui que o casal de estilistas foi fundamental para a industrialização do jeans em visual lavado. Mas o que pouca gente sabe, é que a relevância dessa dupla impactou também a variedade de estilos ofertada na peça.

Talvez seus nomes não sejam tão populares entre as pessoas, mas se hoje comprar um jeans implica também em escolhas de estilos e fits, o mérito é deles. Apesar de Calvin Klein ter sido o primeiro estilista a colocar o jeans na passarela, quem efetivamente exauriu dele múltiplas possibilidades na modelagem foram os Girbaud, jogando com todas as gamas de jeans desde a pate d’el’ephant até a baggy.

Marithé e François Girbaud fundaram sua companhia francesa especializada em jeans e roupas casuais em 1969, e evoluíram sua atuação lançando-a posteriormente também na America. Desde o início, o casal sempre foi visionário ao compreender a importância do desenvolvimento e inovação do visual do jeans, em modo industrial. Juntos, eles trabalharam para criar novos estilos.

Inicialmente o foco foi o acabamento da peça: em 1967 experimentaram o trabalho de desbotamento no jeans, usando todas as lavanderias da localidade. Consequentemente, a marca logo ganhou fama nas áreas suburbanas e comunidades de Chicago, Boston, Los Angeles, San Francisco e New Orleans. Nascia o stone washed: a lavagem com pedra.

Mas a partir de 1977, a busca pelo ineditismo foi ampliada para o desenho e a modelagem do jeans. Foi nesta data, que dupla lançou o primeiro jeans com modelagem baggy da história da moda. Com o sucesso comercial do estilo, a companhia seguiu adiante no caminho das inovações, e lançou nos anos 80 o modelo Pedal Push, diferenciado pelo bolso faca embutido no recorte princesa: o que eles chamaram de x-pocket. Jennifer Beals, do filme Flashdance, foi a porta-voz da expansão da marca nesta década, no mercado americano.

A visão de moda e negócios não parou, e em seguida François Girbaud lançou o estilo batizado como “African Cut”. O fit ajudou a transformar o cenário do streetwear americano pelo visual relaxado, colaborando na construção da própria identidade do hip hop na moda. Em 1985, os Girbaud também exploraram diferentes atitudes relacionadas à altura do cós nesse fit: abaixo dos braços, suspensos ou completamente relaxados revelando pela primeira vez o underwear como composição do look. E assim a posição da “mão no bolso” do jeans, foi alterada implicando em diferentes códigos de atitude.

Um pouco depois, em 1989, os Girbaud lançaram o fit 360’ sailor; um modelo onde os quatro lados do jeans assumiam o look de vista frontal, e que podia ser vestido das duas formas: frente ou costas. Daí podemos pensar que as primeiras experiência de styling vestindo o jeans de forma singular, também foram iniciados pela dupla.

Em 2012, Marithé + Francois Girbaud foram reverenciados em sua importância com o lançamento do livro “From Stone to Light” contando um pouco dessa trajetória. Além de abordar a importância dos Girbaud na diversificação dos fits do jeans, o livro destacou também a trajetória de lavanderia da marca desde a criação da lavagem com pedra até a reprodução do seu visual pelas técnicas do laser.

A grife nunca parou de criar. Inspirado na indumentária militar e nas roupas espaciais, nove anos depois, em 1998, surgia o modelo Shuttle, definido pela cintura alta, o corte baggy e as tiras de velcro ajustando pontos específicos do corpo, como tornozelos. A lista _é extensa: a marca também explorou o look samurai, criou o metamorphojean, alterou a pala, desconstruiu a five pockets – entre sempre batizando seus modelos com nomes que definiam a identidade de cada peça.

Francois Girbaud é uma das personalidades que estará presente na próxima edição do Denim Meeting, que irá acontecer entre os dias 26 e 27 de março, em São Paulo.

Fonte: Vivian David | Fotos: Reprodução