Japan House São Paulo lança exposição sobre design têxtil

O universo têxtil japonês e suas peculiaridades são destaque em exposição na Japan House São Paulo. Intitulada “NUNO – Poéticas têxteis contemporâneas“, a mostra segue em cartaz até o dia 27 de outubro, contando com obras criadas pela designer japonesa Reiko Sudo, da marca NUNO (palavra que significa tecido, em japonês). A entrada é gratuita.

As obras trazem linhas estéticas, materiais e técnicas, muitas vezes reinterpretando a tradição têxtil do Japão para o mundo contemporâneo. Na exposição, com curadoria de Adélia Borges, crítica e historiadora de design; e de Mayumi Ito, consultora e fundadora do projeto comunitário Amaria, serão exibidos 35 diferentes tecidos feitos a partir de matérias-primas que vão de bashofu (fibra de bananeira produzida em Okinawa, no Japão), a páginas de jornais, passando por washi (papel japonês), cobre, plástico, borrachas, penas até materiais tradicionais, como algodão, seda, poliéster, lãs e feltro.

“O trabalho realizado pela Reiko Sudo à frente da NUNO é surpreendente e admirável. Após mais de 30 anos de fundação da marca, Reiko continua suas pesquisas com criatividade única contribuindo para o design internacional com suas inovações, mesmo quando está trabalhando sob a premissa de técnicas tradicionais”, declara Natasha Barzaghi Geenen, Diretora Cultural da Japan House São Paulo.

Como parte da mostra ‘NUNO – Poéticas têxteis contemporâneas’, a entrada do centro cultural se transformará em uma vitrine com koinoboris, carpas estilizadas típicas do Japão, símbolos de saúde e longevidade, feitas com tecidos. A exposição também traz uma série de amostras manuseáveis a serem exploradas pelo público como o Tanabata (2004), tecido de poliéster em formas de origami que cria sensação de movimento, ou o Kibiso Futsu Crisscross (2008), que reaproveita fibras do casulo de seda, antes descartadas pelo difícil manuseio.

Com itens presentes no acervo de importantes museus internacionais, como o MoMA Museum of Modern Art (Nova Iorque) e Victoria & Albert (Londres), a designer Reiko Sudo costura no limiar entre o absoluto manual e o extremo high-tech. Fundado em 1984, na cidade de Tóquio, NUNO é considerado um dos melhores laboratórios de pesquisa têxtil da atualidade com sua proposta contínua em unir materiais, técnicas e processos para a obtenção de tecidos singulares em um genuíno centro de experimentações.

Serviço

Japan House São Paulo – Avenida Paulista, 52

Horário de funcionamento:
Terça-feira a Sábado: das 10h às 20h
Domingos e feriados: das 10h às 18h
Entrada gratuita

Confira a programação em www.facebook.com/JapanHouseSP/

Fonte: Redação | Fotos: Alisson Louback