Kering reduz 36% das emissões gás carbônico em três anos

Três anos após assumir o compromisso de reduzir pela metade a emissão de gás carbônico de sua produção, a Kering já alcançou 36% de sua meta. O grupo liderada por François-Henri Pinault anunciou o feito em seu novo relatório de progresso, onde também apontou ter diminuído os “impactos ambientais globais” em 14% entre 2015 e 2018.

A Kering assumiu esta missão em agosto do ano passado, durante o Fashion Pact, que reúne empresas têxteis e de vestuário com o objetivo de promover uma moda mais sustentável. A empresa estabeleceu a meta de reduzir sua pegada ambiental em 40% e suas emissões de gás carbônico em 50% até 2025 em relação a 2015, enquanto torna suas matérias-primas totalmente rastreáveis.

Em seu mais recente relatório, o grupo anunciou que agora utiliza 67% de energia renovável em todas as suas atividades. A taxa atinge 100% em sete países e 78% na Europa. Além disso, a intensidade das emissões de gases de efeito estufa vinculadas a suas lojas e outros estabelecimentos em todo o mundo teriam diminuído 77% nos últimos três anos.

“O relatório de progresso do desenvolvimento sustentável que compartilhamos hoje reflete conquistas muito encorajadoras, alinhadas com a rota da Kering para 2025, mesmo que ainda haja um longo caminho a percorrer, e estamos muito conscientes”, disse Marie-Claire Daveu, diretora de desenvolvimento sustentável e assuntos institucionais internacionais da empresa.

Até aqui, o grupo francês afirma ter atingido o índice de 30% de algodão orgânico em suas coleções, além da porcentagem de 100% no ouro “responsável” para seus relógios e joias.

Ainda segundo o relatório, as preocupações ambientais definem efetivamente a agenda da moda. Diferentes cidades, Semanas da Moda e outros estilistas estão tomando medidas para reduzir sua pegada de carbono, e várias empresas do setor, incluindo Kering e LVMH, seguem nessa direção.

O grupo Kering engloba marcas de luxo como Gucci, Yves Saint Laurent, Alexander McQueen, Stella McCartney e Balenciaga.

Fonte: Redação | Foto: Reprodução