Lee Jeans estipula metas de sustentabilidade até 2025

Como parte de suas metas sustentáveis, a Lee Jeans determinou novas metas globais de sustentabilidade para por em prática em sua produção até 2025. A marca, propriedade da Kontoor Brands, promete fornecer energia renovável em todas as instalações próprias e operadas, usar mais de 50% de materiais sintéticos sustentáveis e adquirir 20% de algodão cultivado ou reciclado de forma sustentável nos próximos cinco anos.

“Na Lee, estamos comprometidos em fazer nossa parte para ajudar a dar um futuro melhor para a nossa indústria”, disse Chris Waldeck, vice-presidente executivo e presidente global da Lee. “Nossas metas globais de sustentabilidade guiarão nossas ações e ajudarão a acelerar nosso compromisso de fornecer produtos que criem mudanças positivas para nosso ambiente e comunidades, oferecendo a qualidade e o estilo que os consumidores esperam da marca”, completou.

Além das metas, a marca planeja aumentar sua linha denim Indigood. O segmento, lançado em fevereiro, reduz em 100% a quantidade de água utilizada para produzir os artigos e reduz em 60% a quantidade de energia utilizada e os resíduos produzidos, através de um processo especial de tingimento com espuma.

Vale destacar que a linha teve lançamento conjunto com uma plataforma global de sustentabilidade de Lee, “For a World That Works” (Por um Mundo que Funciona, em tradução livre).

Outra iniciativa marca denim é o “Back to Nature” (De volta à Natureza), uma linha de produtos biodegradáveis lançada no início de março. Além disso, no ano passado, a empresa assinou o Jeans Redesign da Ellen MacArthur Foundation.

“Com esses objetivos, estamos elevando o patamar das expectativas dos consumidores Lee em relação à nossa sustentabilidade ambiental”, apontou diretor sênior de negócios sustentáveis, Roian Atwood.

“‘For a World That Works’ é alimentado por um senso de urgência e responsabilidade. No futuro, devemos nos desafiar continuamente a redefinir a forma como operamos, para que possamos ajudar a criar um futuro melhor para o nosso planeta e nossa indústria”, finalizou.

Fonte: Redação | Foto: Reprodução