Procura por reciclados dispara na têxtil sul-coreana Hyosung

A empresa sul-coreana Hyosung, que produz as fibras de elastano creora, está trabalhando na inovação, ao mesmo tempo que investe na sustentabilidade – em um cenário onde os artigos reciclados estão sendo mais procurados. Para a têxtil, a inovação e a sustentabilidade andam de mãos dadas.

“A sustentabilidade é importante, mas as pessoas compram produtos com boa performance primeiro”, explicou Simon Whitmarsh-Knight, diretor de marketing da região EMEA (Europa, Médio Oriente e África) durante a conferência anual da International Textile Manufacturers Federation(ITMF). “É por isso que a Hyosung está empenhada em trabalhar com parceiros para tentar inovar. Até porque, no mundo de hoje, as coisas mudam rapidamente e para sobreviver precisamos de pensar em fazer de forma diferente”, completou.

Atualmente, a Hyosung conta com nove unidades de produção na área têxtil, sendo a mais recente na Índia. A empresa está empenhada em inovar não só no desenvolvimento do produto, mas também no marketing e em “formas de contar histórias reais”, revelou Simon Whitmarsh-Knight.

O cliente em primeiro

O primeiro passo, apontou o diretor de marketing, é “pensar nas necessidades” dos clientes e só depois surge a inovação no produto, “como ligamos esses produtos, essas histórias, com as tendências mundiais”.

Entre essas tendências estão as fibras multifuncionais, para responder à procura de mais performance, e a utilização de matérias-primas naturais, que permitam conjugar funcionalidade e sustentabilidade. “Produzir uma boa fibra de forma sustentável é o principal”, destacou Simon Whitmarsh-Knight ao Jornal Têxtil.

A Hyosung estabeleceu inclusive uma parceria com a Lenzing para desenvolver uma gama de activewear e, com a marca FatFace, fez poliamida reciclada para swimwear. “Passamos para reciclados mas agora fala-se de regenerativo, em devolver algo de bom ao ambiente”, indicou.

O diretor ainda pontuou: “Estamos analisando um conjunto muito diferente de coisas, obviamente não posso revelar o que está para vir no futuro mas, em termos de tendências de mercado, estamos onde o mercado está. Vemos consumidores, marcas e varejistas procurando mais soluções regenerativas, dar alguma coisa de volta, como algo que tire dióxido de carbono da atmosfera. Pode ser uma tendência. Acho que temos mesmo de investigar se é uma tendência sustentável ou algo mais que possa surgir”.

Os próximos passos passam pelo fim do desperdício de água. “Vai se tornar uma questão cada vez mais importante para a indústria, por isto estamos analisando formas de reduzir a utilização de água, tanto na nossa fibra, como no trabalho que estamos realizando com produtores de vestuário e fábricas para estabilizar o tecido”, elucidou.

Reciclados ganham força

O diretor de marketing admitiu que “talvez haja um abrandamento nesta coisa da fast fashion, as pessoas estão querendo comprar menos roupa, buscando peças que durem mais” e as preocupações com a sustentabilidade estão levando a um aumento da procura de artigos reciclados. “Percebi isso verdadeiramente em julho, numa feira de lingerie em Paris, onde, pela primeira vez, uma empresa de lingerie disse ‘estou à procura de reciclado’”, contou.

O reciclado é uma história fácil de contar ao consumidor. E o produto reciclado está ficando melhor, por isso até as empresas de lingerie e underwear podem ter um produto com um bom toque”, acrescentou.

Os valores, contudo, continuam sendo um entrave. “Ao longo do tempo, os preços vêm para baixo por questões competitivas. Estamos vendo isso no poliéster, onde a margem entre o material virgem e o reciclado parece ter reduzido. Na poliamida, o preço do reciclado é ainda mais alto, mas a diferença também está diminuindo. Ao longo do tempo, os preços vão descer”, assegurou.

Mas as histórias são muitas e variadas. “Para mim pessoalmente, e também para a Hyosung enquanto negócio, sobretudo na sustentabilidade, há tantas histórias. Reciclados, certificados, a rastreabilidade estão ganhando cada vez mais importância, a certificação também – são coisas que os clientes começam a procurar cada vez mais“, concluiu.

Fonte: Portugal Têxtil | Fotos: Reprodução