Sustentabilidade e parcerias são apostas da Coca Cola para elevar o jeans da marca

Di Ferrero: cantor e compositor. Karen Fonz:

skatista, tetra­campeã mundial, designer e escritora. Sofia

Abraão: atriz, cantora, compositora, modelo, blogueira, estilista,

dançarina, roteirista e escritora. O que todos tem em comum? De acordo com a

estratégia de marketing e formulação de estilo da marca Coca Cola

jeans, a resposta é influência.



Com Fábrica em Santa Catarina, a Coca Cola faz parte do grupo AMC

Têxtil, detentora também de grandes nomes como Colcci,

Triton, Solder, Forum e

Tuffi Duek. Na trajetória de retomada do foco principal do seu mix de

produtos ­ o jeanswear ­ a mesma vem adotando continuamente parcerias para elevar

seu estilo. Mas as assinaturas, não são de estilistas ou profissionais que falam apenas a

língua do design; e sim a comunicação plural e o efeito viral imediato das mídias digitais,

televisão, música e esportes.


A estratégia, é bastante representativas das tendências de

marketing que vem se estabelecendo como bem sucedidas em solo nacional,

especialmente em se falando de jeans. Em entrevista para o GuiaJeanswear,

Silvio Mello, durante a mais recente edição da Fenin Fashion em

Bento Gonçalves, representante comercial da marca, conta um pouco sobre as

colaborações, soluções criativas que levam de encontro ao conceito eco­friendly e

cultura da marca.



Guia JeansWear: Qual o peso do jeans na coleção da Coca Cola?


Silvio Mello: Estamos voltando nossas atenções para este palco do

jeanswear, onde existe peso em volume e em vendas. Mas o motivo desta retomada é

que este sempre foi o nosso foco, sempre foi nosso DNA. Por isso estamos adotando

várias parcerias: a Sofia Abraão está assinando uma linha, o Di Ferrero no mix

masculino, entre outros.



GJW: Conte um pouco sobre o processo de fabricação da marca.


SM: O pessoal que trabalha na AMC tem muito orgulho de

trabalhar em uma empresa que está cem por cento no Brasil, já que atualmente a grande

maioria dos grupos de moda são compostos por investidores, e não fabricantes

nacionais. Hoje somos um dos poucos grupos que cria, desenvolve e produz moda em

territorio nacional.



GJW: Como é desenvolvido o jeans, dentro deste processo?


SM: Nossa equipe viaja sempre atrás de tendências, mas hoje

não nos baseamos exclusivamente nelas, temos que focar o que o nosso cliente pede.

Nosso jeans é produzido todo em casa, seguindo tendências mundiais, mas

desenvolvido com mão de obra da própria empresa, buscando utilizar o mínimo possível

de água e produtos químicos. Nossa lavanderia é própria, o jeans é todo feito em casa.



GJW: Que estratégias de lavanderia são usadas para reduzir o impacto

ambiental?


SM: A única maneira de conseguir utilizar isso é fazer a mão,

investir no artesanal. Nós temos lavanderia própria, e sabemos que quando se coloca em

processo de máquina, é difícil escapar da exigência dos produtos químicos. Por isso

desviamos ao máximo de tal recurso. Temos detalhes recortados, rasgos, todos feitos

manualmente. Na coleção de verão o bordado também é um detalhe forte, que está

presente em nossa coleção, e que dispensa lavagem. Além disso nas sarjas buscamos

cores neutras, e investimos em estampas silk exclusivas da coleção, que acrescentam

estilo, sem depender de beneficiamentos.



GJW: A Coca Cola pretende expandir a iniciativa das parcerias para

assinar as peças?


SM: Essa iniciativa começou há dois anos, e funcionou super

bem, pois os criadores trazem consigo seus seguidores. É um valor agregado para a

marca. Dux, da coleção Coke Star, é um Dj que começou no Brasil, agora está em

Londres, e é patrocinado pela Coca Cola. Karen Fonz, que é do skate, traz com ela todo

um lifestyle que é bom para a marca. Vamos continuar, sem dúvida.