Vivienne Westwood destaca cultura punk e protestos em coleção

Durante a Semana de Moda de Londres, Vivienne Westwood apresentou sua coleção para o Outono-Inverno 2020 (equivalente ao 2021 nacional) de uma maneira diferente. As peças não seguiram o estilo de desfile tradicional e foram expostas em forma de exposição, no The Serpentine Gallery.

A inspiração para a linha chega clara já em seu nome: “True Punk“. O movimento, que nasceu no Reino Unido, foi representado em estampas xadrez e cores típicas da estética, como verde e vermelho vivo, além de meias arrastão, fivelas e correntes.

Outro destaque, no entanto, pouco tem a ver com as peças. Vivianne utilizou a plataforma para dialogar pela sustentabilidade e expor críticas contra a prisão de seu amigo Julian Assange. O ativista australiano e fundador do WikiLeaks aguarda julgamento em liberdade após ter vazado documentos secretos do governo americano.

As paredes da exposição também contaram com placas dizendo “Os políticos são idiotas + diabos”, “aptos para a cultura, gordos do consumo” e “Assange x US $”. As modelos usavam camisetas com slogans “Rápido demais para viver, jovem demais para morrer” e “Os pobres ficam mais pobres”.

Fonte: Redação | Fotos: Reprodução