Autenticidade e design mantiveram o jeans vivo na era athleisure

Nos últimos anos, é difícil negar a ascensão da tendência athleisure, com suas calças de yoga e moletons se destacando em looks baseados em conforto e funcionalidade. E muito se disse que o denim acabaria totalmente esquecido neste cenário. A afirmação não poderia estar mais equivocada.

De fato, com a venda de artigos esportivos crescendo, o mercado denim enfrentou uma queda significativa. O jeanswear acabou “contra-atacando” com a ajuda de personalidades como Rihanna, Beyoncé e Kanye West, que usaram e abusaram de looks com o tecido, difundindo sua versatilidade aos olhos do público.

Entre estes aliados, a cantora Rihanna é que mais se destaca. A estrela pop barbadense se inseriu no mundo da moda por seus looks de espírito aventureiro, sem medo de errar, e, é claro, sua preferência por composições com jeans. Jaquetas, vestidos, shorts, saias, botas, total denim. Sendo uma das pessoas vivas mais fotografadas, sua paixão pelo tecido a tornaram um “outdoor” vivo, mostrando que tudo pode ser feito no universo jeanswear.

A análise ganhou peso com Jonathan Cheung, vice-presidente sênior de inovação em design da Levi’s®, em entrevista ao The Atlantic. “Antes da internet, quando você tinha uma loja, provavelmente tinha uma pequena seção na loja que era sua mesa de jeans. […] E você tinha a mídia tradicional, então você só tinha certas páginas em uma revista que falariam sobre jeans”, apontou.

Hoje, o inventário denim é tão grande quanto a própria internet. As peças jeans ganharam um novo tom e realçaram sua autenticidade com designs diferentes, vintage e mix com artigos de luxo.

As próprias calças denim nunca foram tão variadas. Ainda que o skinny seja uma preferência nacional no Brasil, é fácil encontrar no street style modelos de cortes retos, largos, cigarretes, pantalonas, em lavagens escuras, claras ou ácidas. As opções são infinitas.

“O jeans tornou-se popular nas décadas de 1920 e 1930 ao lado do surgimento de Hollywood”, explica Emma McClendon, curadora associada do Museu do Fashion Institute of Technology. “Isso posicionou jeans como o uniforme do cowboy solitário, sinônimo de romance e promessa do oeste americano”.

Mesmo com diferentes cortes e tons, o denim manteve sua posição democrática e encontrou espaço no guarda-roupa dos consumidores. Afinal, ainda que leggings sejam uma opção razoável em uma composição, é o jeans quem pode transmitir uma personalidade a mais para um look.

Fonte: Thaina Barros | Fotos: Reprodução