Brechós online são impulsionados com novos hábitos de consumo na pandemia

Entre as diversas mudanças impulsionadas pela pandemia da Covid-19, a ascensão dos brechós online nos hábitos de consumo aparece em destaque. O movimento acabou ajudando a popularizar negócios conscientes, de baixo impacto ambiental e também com valores acessíveis para o público final, deixando o estigma de ambientes mal cheirosos e com roupas velhas para trás.

A “nova era” traz negócios digitais profissionalizados, modernos e com uma curadoria de peças que torna a experiência de compra igual à de adquirir uma peça nunca usada. Além disso, a iniciativa também promove o empreendedorismo, oferecendo uma alternativa de renda, e economia para quem compra.

O apelo sustentável deste tipo de consumo tem atraído consumidores, já que promove uma economia circular e amplia o tempo de vida de peças de vestuário. Rebeca Foggetti, Fashion Stylist do Repassa, um dos maiores brechós digitais do Brasil, avalia que a adesão aos brechós é um movimento que, embora tenha sido impulsionado durante a crise, tende a se consolidar.

“É natural que as pessoas mantenham novas práticas e hábitos positivos descobertos durante a pandemia, e certamente os brechós continuarão ativos dentro dessa nova dinâmica de consumo que se estabeleceu”, comentou Rebeca.

O Repassa tem cadastrados em sua plataforma cerca de 27 mil vendedores que usam a plataforma para comercializar peças que estavam, até então, parados no guarda-roupa. O portfólio da companhia disponibiliza cerca de 150 mil itens entre roupas femininas, masculinas e infantis, incluindo calçados e acessórios, que são vendidos com descontos que variam de 30% a 90% em relação ao valor de mercado.

No último ano, a startup pagou cerca de R$ 7 milhões para os vendedores cadastrados no site. Fundado em 2015 pelo empresário Tadeu Almeida, o Repassa também conta com um galpão de 3.200m² na Barra Funda, na capital paulista, onde fica o seu Centro de Distribuição.

O espaço abriga, ainda, 40 estúdios onde são fotografados os looks, além do escritório da empresa. O complexo também conta com um time de especialistas que analisa cuidadosamente todos os produtos recebidos para que as peças comercializadas no site estejam em bom estado, além de uma equipe dedicada a estudar a precificação das peças.

“Para garantirmos essa experiência, não aceitamos peças com rasgos, furos, marcas de uso, esgarçadas, desgastadas, com odor, manchas, sujas ou com pelos de animais, bolinhas de tecido, peças com partes faltando, réplicas de grifes e casacos/acessórios de pele de animais”, diz Rebeca.

Fonte: Redação | Foto: Reprodução