Comportamento de consumo do público masculino

Apesar de uma quebra anual de 5% no número de visitas de consumidores masculinos às lojas de vestuário dos EUA em 2012 uma proporção de 65% do menswear foi efetivamente comprado pelo público. Segundo Marshal Cohen, principal analista do sector no NPD Group, o crescimento das vendas de vestuário masculino foi superior ao registrado no vestuário feminino ao longo dos dois anos anteriores. “Mas em 2012, apesar das mulheres registrarem um melhor desempenho, os homens levaram a moda mais a sério, incluindo vestuário informal colorido no seu guarda-roupa pessoal”.



Apesar do escasso crescimento nas três principais categorias de vestuário masculino – camisas de malha, jeans e camisas de tecido alguns segmentos se destacaram, beneficiando-se de um renovado interesse em moda casual e básica. É o caso do underwear, que cresceu 13% em termos anuais. “Além de atualizar o vestuário básico do seu guarda-roupa pessoal os homens tem se sentido mais confortáveis para assimilar a moda, assumindo mais riscos este ano”, afirmou Cohen.



As lojas que mais se beneficiaram com a venda de peças íntimas e roupas de lazer foram os varejistas de preço baixo. Este canal está atualmente aumentando mais rapidamente do que o mercado em geral. “Os homens ainda se preocupam com o valor do produto”, considera Cohen. “Os resultados também nos mostram que os homens estão investindo no vestuário casual e isso talvez seja porque querem a nova tecnologia que esses produtos têm para oferecer, mesmo que não seja oferecida a um preço mais baixo”, explica.



A análise do NPD Group conclui que “os varejistas terão de enfrentar o desafio de lutar por uma fatia das carteiras masculinas e manter a venda na loja com tecnologia. Eles terão de investir em remodelações para melhorar a experiência de compra e os negócios exclusivamente on-line, que poderão chegar ao ponto de necessitar a presença no comércio convencional, para desenvolver o varejo omnicanal”.

REDAÇÃO / FOTOS: REPRODUÇÃO