Química Intensa promove final do concurso Blue Journey na Denim City SP

A final da primeira edição do concurso Blue Journey, criado pela Química Intensa para promover processos mais sustentáveis em lavanderia, aconteceu nesta terça-feira, na Denim City SP. O evento mostrou que o Brasil tem profissionais capacitados e produtos para oferecer um jeans sustentável para o mercado internacional, revelando ainda talentos de empresas menores, como foi o caso do vencedor dessa edição.

Durante a decisão final, dois participantes ficaram empatados e a difícil escolha foi decidida por pequenos detalhes (pela técnica), onde trabalharam muito bem o laser. Marcos de Quadros, da Lavanderia Lavepar, foi o vencedor e ganhou um equipamento de nebulização. Já Talles Paulino, da Lavanderia John Cler, ficou com a segunda colocação e foi premiado com um curso totalmente gratuito na Denim City SP.

Marcos de Quadros, da Lavanderia Lavepar

“Estou muito feliz com a vitória, porém, o mais importante é provar que nós conseguimos ser sustentáveis dentro da lavanderia, a gente não precisa usar mais o permanganato. Claro que não dá para parar de uma hora para outra, mas é o primeiro passo para tudo”, Marcos de Quadros, da Lavanderia Lavepar, ao Guia JeansWear.

“Nós iniciamos esse evento como um desafio, com o objetivo de mostrar que temos profissionais de alto gabarito, muito técnicos. Ao mesmo tempo, buscamos estimular a elaboração de peças sustentáveis, que tragam a economia de processos, de tempo, de água, auxiliando também a natureza, restringindo a utilização de produtos como permanganato de potássio e cloro”, afirma Vicente Campilongo Junior, diretor da Química Intensa. “Os técnicos, desde a eliminatória, mostraram tudo o que podia ser feito e, agora para a final, realizaram um trabalho fantástico”.

Leandro Nard, da Química Intensa, foi idealizador do concurso e apontou que a segunda edição já está prevista para acontecer em meados de julho e será no formato de reality show.  “A final da segunda edição vai ser gravada dentro da lavanderia da Denim City SP, ao vivo como um reality show. Os concorrentes terão um tempo específico para entregar a peça”, indicou.

“Na hora os juízes avaliam e já escolhem o ganhador. Todo ano teremos uma edição do evento”, completou Leandro, que ressaltou também que a segunda edição do concurso poderá ser realizada um formato regional, com cinco técnicos de cada estado, onde sai um ganhador de cada região e posteriormente a final brasileira.

“Eu estava vindo do Paraná, atendendo uma lavanderia e, pude perceber a rivalidade que existe entre elas, que disputam o mesmo cliente e, isso acontece desde o setor de desenvolvimento. Quando surgiu a pandemia, pensei em algo para movimentar o mercado, para fazer divulgação trazendo o pessoal de volta para mídia. Foi quando eu tive a ideia de fazer esse campeonato brasileiro unificando algumas lavanderias escolhidas que já haviam aderido aos nossos processos de nebulização, para disputar quem faz a peça mais incrível dentro do conceito sustentável”, conclui Leandro.

A final do Blue Journey contou com a participação de três jurados. Marco Britto, proprietário do Grupo GB, que avaliou a inovação da peça, Fábio Felix, coordenador de lavanderia da Vicunha, responsável pela análise da parte técnica, e Márcio Negrão, CEO da Denim City SP, que conferiu a parte comercial da peça, se seria vendável ou não.

“Foi bem difícil a avaliação e sobraram duas peças que realmente são de nível internacional’, afirma Marco Britto que confirma que o Brasil está à frente quando falamos em sustentabilidade.

Para Fábio Felix, o Blue Journey engloba o setor por inteiro. “Ele traz a realidade para o nosso mundo do jeito que a gente tem que passar a atuar daqui para frente. Tivemos aqui o tecido da Vicunha que contribuiu muito e que pode ser sustentável, junto com isso veio o pessoal da indústria química que desenvolveu produtos que permitem resultados muito interessantes com versatilidade e com processos que trazem vida à peça, conceito de moda, processos econômicos, sustentáveis”, disse.

“Então, estamos mudando o jeito de pensar, estamos mostrando a todos que com tecido sustentável, é possível ter beneficiamentos sustentáveis e comercialmente falando, muito atrativos”, completou Fábio. Segundo o coordenador de lavanderia, a qualidade dos finalistas e das peças foi significativa e houve uma evolução da primeira etapa para a final.

Sobre a colaboração da Denim City SP para o setor denim, Fábio acredita que é importante capacitar os profissionais de todas as áreas, unificando o mercado e valorizando o jeanswear. “O denim é eclético, versátil, permite modelagens, beneficiamentos e conceitos diferentes. O que mais importa nesse momento é a gente perceber que tecido sustentável pode lavar, que nós temos que comercializar aquilo que seja interessante. Não é porque é sustentável tem que ser barato, feio“, opinou.

“Nós temos que fazer peças atrativas que criem desejo e nada vai nos limitar daqui para frente e a Denim City SP veio com conceito de unir toda essa cadeia no nosso setor, da cadeia têxtil de forma geral, ou seja, confecção, designers, indústria têxtil, lavanderias, tudo isso se juntou dentro de um mesmo espaço trazendo maior conhecimento que sempre traz inovação, porque quanto mais você conhece, você percebe que precisa evoluir cada vez mais”, finalizou Fábio Felix.

Fonte: Vanessa de Castro | Fotos: Equipe Guia JeansWear