Schutz prepara lançamento de sua primeira coleção de roupas

A Schutz dá um novo passo no mercado. A marca se prepara para o lançamento de sua primeira coleção de roupas, concretizando o desejo do empresário Alexandre Birman, CEO da holding Arezzo&Co., de transformar a Schutz em uma marca de lifestyle desde que a fundou, há 26 anos.

Schutz e Ginger, marca de roupas de Marina Ruy Barbosa, colaboraram recentemente

De acordo com a Isto É, a novidade seja a marca com um diferencial em relação a outras do mesmo grupo. A Schutz já conta com uma forte aderência a proposta entre sua base de 500 mil consumidores, com 10% deles sendo parte de uma comunidade fiel, pessoas de classe alta que gastam 2,5 vezes mais do que a média.

A diretora de operação da marca, Milena Penteado, indicou o sucesso da recente colaboração com a Ginger, selo de moda da atriz Marina Ruy Barbosa, como uma prerrogativa para o potencial de vendas de uma coleção de roupas Schutz. “Não precisamos atrair novos clientes para crescer porque temos uma demanda inexplorada dentro da nossa própria base”, afirmou.

A empresa contratou 25 especialistas que seguirão sob a batuta da estilista Cacá Garcia. O time desenvolveu 300 modelos de referência, com preço médio de R$ 590, que foram divididos em lançamentos mensais. Há opções nas quatro linhas principais: jeans, camisaria, algodão e alfaiataria, que diferem do visual mais arrojado pelo qual a marca é conhecida.

“Estamos trazendo uma moda urbana e mais versátil, trabalhando inicialmente com quatro estampas”, indicou Milena.

Para embarcar na empreitada, a Schutz tem ao seu favor o ecossistema da Reserva, que pertence ao mesmo grupo e com quem dividirá um centro de distribuição no Rio de Janeiro e a rede de fornecedores.

Além disso, ainda que leve a coleção de roupas para lojas físicas, a marca irá focar nas plataformas digitais, em especial o e-commerce, que representou 30% dos mais de R$ 700 milhões de receita no País em 2021, e na prateleira infinita – quando não há necessidade de a venda estar vinculada a ter o item em estoque – para os franqueados. A expectativa é que a categoria de vestuário da Schutz se com 50% das vendas.

“Inicialmente, o vestuário será um upside das vendas […] Nos próximos dois anos, deve representar 25% do faturamento”, finalizou a executiva.

Fonte: Redação | Foto: Reprodução