Sustentabilidade e economia circular como DNA da Nudie Jeans na Denim City SP

Durante o evento de abertura da Denim City SP, na última semana, Antony Bijins da Nudie Jeans falou sobre a marca jeanswear – a primeira no mundo a pensar na sustentabilidade desde o início em 2001, na cidade de Gothenburg, na Suécia. De lá pra cá, muitas mudanças e conquistas aconteceram, sempre com foco na responsabilidade ambiental e social.

A marca começou utilizando algodão orgânico, sem pesticidas ou fertilizantes. Além disso, em 2011, passou a utilizar somente com a pluma produzida em condições justas de trabalho, isto quer dizer que se certificavam de que os funcionários recebiam salários corretos. Também exigem que seus fornecedores sejam transparentes com os consumidores, revelando toda a cadeia no site da marca.

Dentro do projeto salários justos, A Nudie Jeans paga um valor extra ao salário mínimo de colaboradores de países como a Índia, onde o salário é menor e não cobre as necessidades básicas para a família.

Já em 2012, 100% da coleção jeanswear era produzida com algodão orgânico. A marca demorou onze anos para conseguir essa conquista. A partir de 2017 todos os produtos começaram a ser produzidos com algodão orgânico. Em 2018, eliminaram as etiquetas ou qualquer outro detalhe em couro e passaram a utilizar a celulose de alta densidade.

No ano de 2013, foi lançada a primeira loja conceito onde realizam reparos e consertos das peças, de graça. Atualmente, a marca já está presente em 50 países (35 lojas) e, o cliente pode levar seu produto para realizar esse serviço em qualquer loja do mundo. “A ideia por trás disso é prorrogar a vida útil da sua peça, para que nós não tenhamos que fazer uma nova e o cliente continue com a sua”, afirmou Antony.

E, complementa: “Todos esses jeans que arrumamos fez com que não jogássemos fora 40 mil quilos de tecido e que economizássemos 355 litros de água em sua produção. Ser sustentável não é somente na fabricação, mas também na forma e maneira em como usar essa peça jeans”.

Além disso, a marca aceita produtos usados e concede desconto de 20% ao adquirir um novo item. “Aqui a ideia é de que o jeans não seja descartado. A gente quer motivar o consumidor a fazer a economia circular. Recebemos essa peça, reformamos e vendemos como um produto de segunda mão para que uma outra pessoa possa ficar feliz. Estamos expandindo esse conceito de loja de consertos e reparos para garantir que todos nossos produtos fabricados sejam devolvidos e tenham uma segunda vida”, comenta Antony Bijins.

O profissional conta ainda que realizaram parcerias com lojas multimarcas para que tivessem a oficina de reparos e consertos nesses locais, inclusive a loja da Denim City SP tem produtos da Nudie Jeans à venda e um cantinho com esse serviço.

Confira o talk completo abaixo:

Fonte: Vanessa de Castro | Foto: Reprodução