Fernando Pimentel aponta cenário de recuperação favorável para exportações

Foco nas soluções, na visão do coletivo e no que efetivamente funciona no mercado; que é um dos maiores em produção mundial, e apesar da crise; é também o mais estável. Foi fundamentado em números e estatísticas reais do segmento, que Fernando Pimentel, presidente da Abit, apresentou aos participantes da 2º edição do Denim Meeting um cenário de interrupção de queda em vários aspectos – o que de acordo com ele, é um cenário positivo e sinaliza retomada. Entre os exemplos apontou a produção têxtil que evolui de um percentual negativo de -5,3% em março de 2016; para 1% positivo, contabilizado até março de 2017.



Pimentel iniciou sua apresentação contextualizando a importância da Abit para a cadeia têxtil nacional, instituição que completou 60 anos de trajetória em fevereiro deste ano, e representa uma das entidades mais importantes do país, capaz de direcionar a economia e a política para o encontro das necessidades do setor. “Não nos pautamos na crise, mas nas soluções”, comenta. Atualizando a missão da instituição, Fernando destacou a criação da Abit 2030, conjunto de novas metas que reflete a nova visão da instituição. “Estamos sempre em busca do desenvolvimento , e uma das tarefas que mais desempenhamos é barrar projetos que poderiam ser prejudiciais para as indústrias”.



“Paramos de piorar, mas muito embora o cenário econômico não esteja favorável, apresenta sinais positivos”, destacou. Entre estes “sinais”, Fernando trouxe dados como a produção abaixo do esperado; que diminuiu em 21% (de 62% em março de 2016 para 41% até março 2017).
Também estatísticas que refletem uma reação no volume de produção do vestuário, como a evolução do percentual negativo de – 6,7% em 2015 a melhora sutil de 1% positivo. Também os empregos, de acordo com os dados apresentados por Pimentel, trouxeram a tona mudanças de um quadro negativo para um positivo. Como estratégia, Pimentel apontou que o Câmbio deste ano, favorece as exportações: logo recomendou a estratégia como um caminho de progresso; anunciando que apesar da capacidade limitada do mercado nacional de agredir outros mercados, espera-se um crescimento de 15% em outubro deste ano.



Interessantes peculiaridades do momento atual do mercado global foram expostas, como a realidade do comércio on-line “machucando” o físico; o que indica a necessidade de alinhamento com este novo contexto. Também dados abordando os importados; cuja participação consistia em 20,3% em 2012 e em 2016 reduziu-se a 13% sobre volumes.



Para encerrar vislumbrando um futuro de mudanças e muita luta; Pimentel compartilhou com os participantes um pouco da agenda Abit de 2017; composta por temas que interessam ao senso coletivo ligado à cadeia denim: colocando como prioridade os interesses das confecções pequenas e médias, que segundo ele; representam fatia maior que movimenta o setor. Entre os tópicos citou a parte tributária, chegada do cartão BNDES, negociações internacionais, relações trabalhistas, tecnologia, inovação e normas, e o alinhamento com a quarta revolução industrial. Como missão; apontou a estratégia de aprender com outros segmentos.



Para encerrar a apresentação, o presidente da Abit convidou todos para a participação no IAF’s 33º World Fashion Convention; que irá acontecer entre os dias 17 e 18 de outubro no Rio de Janeiro, tratando justamente das mudanças impostas para o varejo na tecnologia. Convite que estendemos aos nossos leitores.

VIVIAN DAVID | FOTOS: Osíris Lambert