Mais de 40% dos lojistas avaliam investir no próprio marketplace, indica pesquisa

Em pesquisa da Atonit, realizada em parceria com o E-commerce Brasil, 43% dos comerciantes estão avaliando lançar o seu próprio marketplace. Ainda de acordo com o levantamento, 28% dos entrevistados disseram já operar neste modelo ou estar com um projeto em desenvolvimento. O restante dos participantes afirmaram acreditar que o modelo não seja aderente ao segmento que atuam.

O levantamento contou com a participação de 72% dos respondentes atuantes no varejo (B2C), além de respondentes da indústria (que atuam no mercado B2B e D2C) e cursos.

Em relação a visão de maior complexidade de ser um marketplace, os participantes puderam assinalar mais de uma alternativa. Neste cenário, 43% dos participantes afirmaram que o gerenciamento é o principal desafio da empreitada, considerando administrar as próprias vendas, enquanto deve-se gerenciar as empresas terceiras, que vendem através do seu e-commerce.

Na sequência, a segunda maior complexidade do marketplace para 25% dos participantes é a tecnologia – integrações com os sistemas necessários para executar uma operação eficiente – e seguida pelo atendimento (18%) – lidar com situações de troca e devoluções, já que há vendas de produtos para terceiros.

Tráfego, margem e rentabilidade, concorrência e integração entre os canais de distribuição (B2B, B2C e D2C) foram as demais opções inseridas pelos participantes.

A pesquisa também apontou que respondentes veem a possibilidade de oferecer aos seus clientes um canal unificado de compras, com amplo mix de produtos (57%); aumento a relevância do seu e-commerce em mecanismos de buscas (50%); poder se tornar um canal de vendas referência em seu segmento (39%); fidelizar seus clientes (36%); e aprender mais sobre clientes e seu comportamento de consumo (36%) como principais vantagens de se ter um próprio marketplace.

Quando questionados sobre a comercialização de seus produtos em outros marketplaces, 61% dos participantes responderam que já atuam em parcerias junto à outros players e 21% responderam ainda não comercializar, mas registraram que gostariam.

Fonte: Redação | Foto: Reprodução