Vendas por e-commerce superaram shoppings em 2021

As vendas online, de fato, dispararam no último ano no Brasil. Ao menos foi o que apontou estudo da gestora Canuma Capital, publicado pelo jornal O Estado de São Paulo.

O levantamento indicou que o e-commerce nacional atingiu R$ 260 bilhões em vendas durante o ano de 2021, superando em R$ 160 bilhões o total de vendas registrado em 2019. Já os shoppings do Brasil faturaram cerca de R$ 190 bilhões no período pré-pandemia, e a previsão é que esse número tenha caído para cerca de R$175 bilhões em 2021, considerando as mesmas lojas.

Vale destacar que, de acordo com a Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce), o Brasil tem um total de 601 shoppings, com um total de 110.938 lojas. Contudo, é preciso levar em conta que existe uma diferente penetração do e-commerce nas diferentes regiões do país, sendo o comércio online muito concentrado na região sudeste.

O estudo utilizou dados dos grupos de capital aberto, incluindo as próprias empresas de comércio eletrônico, informações sobre shoppings investidos por fundos imobiliários, dados de associações e do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Ainda de acordo com o levantamento, os shoppings brasileiros perderam aproximadamente R$ 35 bilhões de vendas para o e-commerce, além de outros R$ 15 bilhões de serviços uma vez que os shoppings receberam menor fluxo de pessoas em cinemas e área de alimentação, por exemplo.

“Os shoppings terão de se reinventar para ter a mesma receita por metro quadrado”, explicou Marcelo Vainstein, sócio da Canuma e ex-diretor da Brookfield Property Group, ao Estadão.

Atualmente, a estimativa é que o e-commerce já representa cerca de 13% do total de vendas de todo o varejo do Brasil no período pós pandemia, enquanto esse número representa 20% nos EUA e já supera os 50% na China.

Fonte: Redação | Foto: Reprodução