Novas leituras para o tie-dye e batik

Ela é a lavagem que melhor representa o tema étnico, e simultaneamente dialoga com a aparência decorativa e excessiva de texturas do barroco. É também uma das propostas mais usáveis apresentadas nas passarelas dos desfiles internacionais de inverno 2013 (2014 brasileiro), especialmente através da leitura dada pela marca Libertine.


Estamos falando do beneficiamento tie-dye, que se alia ao batik liderando o repertório de lavagens com amplo espaço nas coleções. Ambos surgem com vários desdobramentos, criando tanto efeitos horizontais quanto verticais. A lavagem veio bastante eclética em cores e nos espectros formados no denim, tanto nas feiras Coterie, Intermezzo, Capsule de Nova York, quanto na consistente Bread&Butter.


Tanto o tie-dye quanto o batik seguem toda a cartela da estação com jeitão de color denim em fundo branco, tal como as peças das marcas Levis e Michael Kors, garimpadas em nossa pesquisa através de sites de lojas virtuais. Quando em fundo azul índigo, ou escuro, os beneficiamentos ganham uma aparência cósmica. São diversos os estilos, e o mercado nacional está sempre ávido por lavagens decorativas capazes de agilizar a atualização de modelagens básicas.


Recomenda-se, também, a inclusão desta lavagem nas jaquetas básicas e camisas jeans. As jaquetas, elevam bastante o valor de moda quando recebem tal linguagem, e conferem visibilidade do alinhamento das coleções para com as tendências da temporada. O tie dye pode dividir as peças em camadas de cores horizontais, especialmente nas jaquetas ou ainda criar rabiscos longilíneos. Confira na galeria de imagens, um diversificado agrupamento de interpretações desta lavagem, bastante representativo da temporada, contemplando desde bons exemplares de feiras, como best-sellers de lojas virtuais.


VIVIAN DAVID / FOTOS: REPRODUÇÃO