SPFW ocupa espaços da cidade de São Paulo em celebração de 25 anos

“É tempo de celebrar. A imaginação, a criação, a realização. Celebrar o verbo, a ação, o fazer. Celebrar todos que participam de um sonho que se faz real no tempo. Moda tem a ver com mudança e resiliência. A memória do que foi construído nesses 25 anos celebra a força de um processo coletivo de transformação e abre caminho para que essa potência criativa continue a se manifestar em novos patamares e movimentos”, reflete Paulo Borges, criador do São Paulo Fashion Week.

Este sonho foi materializado na maior semana de moda da América Latina, o SPFW, que comemora seus 25 anos nesses novos tempos em formato online. A celebração, porém, não deixou de ocupar diferentes espaços marcantes da cidade de São Paulo, transformando as passarelas tradicionais em apresentações inovadoras como fashion films, desfile na loja, música no topo do edifício, filmes protesto, modelos em 3D e dança. Cada marca ou estilista realmente contou a história de suas roupas, valorizando ainda o conceito, o propósito e os detalhes das peças.

A cidade ainda foi tomada por projeções unindo design, artes visuais, tecnologia, entre outras conexões criativas. “O SPFW expande o olhar para compartilhar com a cidade momentos que marcaram a história do evento e seus pilares, reconhecendo o impulso criativo plural e diverso e, o espaço urbano como seu maior canal de expressão”, comenta Paulo Borges.

“Temos a certeza de que o maior estímulo nesse momento é cuidar, acreditar e criar. Um estímulo que não passe pelo medo, pela urgência de sobreviver. Um impulso inspirador, um brilho do que está por vir, renovando a crença em nossos valores, nas pessoas e em nossas expressões criativas, colhendo o afeto, a colaboração e o envolvimento de todos que fazem parte dessa construção. É o que celebramos e compartilhamos com todos”, completou.

Tendências

Entre as marcas que participaram dessa edição vimos a valorização de modelos “normais”, de diferentes tipos físicos, etnias e idades e uma moda mais simples, não no sentido, de ser menos criativa, sofisticada, elegante ou divertida, mas sim buscando a simplicidade do dia a dia, descomplicando looks, reinventando modos de usar.

O ênfase aparece em tecidos naturais, peças artesanais, hand made ou no conceito upcycling, materiais tecnológicos e grafismos. Há ainda estampas que reacendem a esperança no olhar das pessoas, em meio ao caos, modelagens amplas, confortáveis, roupas no gender, volumes inesperados e o streetwear com toques modernos e coloridos.

O jeans pode vir somente amaciado com mix de lavagens, valorizando os shapes desconstruídos, sem grandes processos em lavanderia. Entre as marcas que tiveram o denim como protagonista, aparecem a Amapô e a Martins, estreante desta edição do SPFW.

Destaque para os tecidos fluídos, plissados, babados, mangas bufantes e a alfaiataria renovada. Os vestidos são os queridinhos da temporada juntamente com pantalonas, oversizeds, calças retas, camisões, moletons e jaquetas esportivas. Uma moda plural, despojada, atual e com referências ao passado, para ser usada em qualquer lugar, por qualquer pessoa.

Todo o conteúdo da edição online do São Paulo Fashion Week segue disponível no Youtube do evento, basta clicar aqui.

Fonte: Vanessa de Castro | Fotos: Reprodução